Posts tagged ‘amigos’

Ajuda capitalista

O que seria de nós, seres humanos dependentes de contato físico-social, sem nossos amigos de todos os dias? Pensando nisso um grupo amigos – de verdade – resolveu criar o Amigos de Aluguel.

Nada contra a iniciativa dos caras, na teoria é até um negócio interessante. Mas eu penso que a amizade, uma força que une o homem de tal maneira, não pode ser alugada por algum tempo X e por preço Y. Tudo bem, pessoas solitárias procurando o serviço para ir a um evento social, jantarzinho básico e até compras na 25 de março.

Repito que acho a iniciativa legal, afinal dá um companheirismo àquelas pessoas sozinhas, mas não seria mais interessante eles criarem um grupo que ajuda pessoas mais tímidas a se enturmarem? Tipo um CVV (Centro de Valorização da Vida) mais animadinho.

Ah certo, infelizmente em um simples grupo de ajuda eles não podem cobrar pelo serviço!

junho 22, 2009 at 9:16 pm 3 comentários

(In)Perfeições

Ela se julgava perfeita. Sempre sabia de tudo, sempre tinha uma resposta pronta na ponta da língua. Eu também a considerava assim para certas situações. Ela era quem agia quando eu era covarde o suficiente para tentar ser ouvida, sempre tinha a atitude certa quando me faltavam certezas e reações. Éramos amigas acima de tudo, mas eu sabia que a vulga perfeição que ela tinha tanta certeza de possuir não era tão perfeita assim.

As pessoas se acham perfeitas e gostam de julgar os outros por isso, mas não param para olhar suas próprias atitudes. Nós nem sempre concordávamos. Mas aprendi que para o bem de uma amizade os defeitos devem ser deixados de lado quando as qualidades se sobre saem.

Hoje nossas vidas seguem por caminhos diferentes. Mas posso dizer que vivi grandes momentos com essa amizade. Aprendi muita coisa com ela; não sei se ela aprendeu algo comigo, não sou egocêntrica o suficiente para afirmar com certeza. No final de tudo os danos foram grandes, os orgulhos foram feridos e a amizade que antes era forte e “perfeita” se desfez em frangalhos.

Ela se julgava perfeita. Mas ela não foi perfeita o suficiente para dizer na minha cara o que havia de errado. Tenho comigo a consciência tranqüila, mas quem pode negar que apesar de tudo, por conhecer sua vulga perfeição, eu não tenha mudado para melhor?

abril 28, 2009 at 4:30 pm 2 comentários

Minha geladeira, minha vida.

Sempre gostei de ímãs, são objetos tão divertidos com toda aquela coisa de pólo norte e sul. Eu costumava ter uma geladeira cheia deles, de todos os tamanhos, formas e cores. Eles ocupavam minha geladeira de cima a baixo. É claro que existiam ímãs que eu não gostava muito, mas bem… Eles estavam ali. Eu podia conviver com eles.

O maior inimigo dos ímãs são, com toda a certeza, as crianças pequenas. Elas os adoram. Brincam com eles, os colocam fora de ordem. E na minha geladeira não era diferente. Crianças iam e vinham, e uma vez ou outra, quando brincavam alegres e contentes, alguns dos meus ímãs encontravam seu destino no chão, normalmente quebrados e destruídos.

Não me entendam mal, mas aqueles ímãs que eu não gostava muito sempre ficavam mais embaixo. Ao alcance das pequenas mãozinhas desastradas. Mas existiam outros. Outros que eu não suportaria perder na guerra entre mãos infantis e gravidade. E eles estavam sempre ali. Bem no alto da geladeira, fora do alcance de qualquer mão descuidada.

Eu os arrumava em fileiras, um ao lado do outro. Eles não reclamavam. Podiam conviver juntos, sem grandes problemas. E lá eles iriam permanecer – por mim – por toda a eternidade, ou até o fim da minha vida (ou o que viesse primeiro). Outros ímãs iam e vinham, fazendo parte daquela vida na porta da geladeira. Alguns eram promovidos e eu os enviava ao topo, junto com os meus favoritos. Tudo da mais perfeita paz.

Um dia ganhei um ímã novo. Diferente de todos aqueles que eu já tinha. Colorido e alegre. Este ímã foi subindo rápido da escala social da minha geladeira. E dentro de pouco tempo já estava completamente enturmado com o escalão mais alto dos ímãs. O problema surgiu quando um dos meus ímãs mais querido e protegido foi contra a aceitação daquele ímã novo. Não sei se tinham pólos diferentes, energias magnéticas… Vejam bem, nunca fui boa com física, só entendia dos meus ímãs.

A vida na geladeira começou a ficar difícil, meu ímã antigo e querido se revoltou. Mas com o tempo eu consegui dobrá-lo, foi difícil, um trabalho árduo e quase fatal, porém o novo ímã estava aceito, se tornando um dos meu favoritos. Eu tinha agora dois ímãs muito queridos, dividindo o posto de meus favoritos, lado a lado. A paz voltou a reinar.

Até a chegada de uma nova criança. Ela era alta e levada. E sem que eu sequer visse conseguiu alcançar o nível mais alto da geladeira. Não consegui impedir. Meus dois ímãs favoritos sucumbiram às mãos malvadas daquela criança grande.

Eu tentei recuperá-los. Mas o ímã mais antigo estava destruído, completamente em pedaços. O novo sofreu uma rachadura, mas após uma boa dose de cola consegui grudá-lo novamente à geladeira.

Mas o meu ímã mais antigo estava completamente detonado. Eu chorei por algum tempo. Eu sabia que tinha tentado de tudo para salvá-lo, mas pelo jeito, meus esforços tinham sido em vão.

Como se não bastasse a minha tristeza pelo ímã perdido uma nova situação estava me deixando ainda mais machucada. Apesar de por fora estar tudo bem, o meu outro ímã não conseguia mais ficar no topo. Algo o puxava pra baixo. Junto com os outros, fora da segurança.

Eu tentava puxá-lo pra cima, junto aos outros. Mas ele insistia em ficar embaixo. Por enquanto ele ainda está inteiro, mas nunca se sabe quando outra criança vai aparecer para brincar com os meus ímãs. E deixá-los cair junto ao chão, em frangalhos.

fevereiro 24, 2009 at 5:18 pm 1 comentário

Alguém tem que ceder

Não havia mais argumentos. Não mesmo. E olha que eu busquei por eles, e como! Mas a coisa foi se tornando mais forte do que eu. Aliás, as coisas! Elas me ludibriaram. Seduziram-me ardilosamente, eu diria!

De repente eu me vi no meio dos planos! Bolinhas coloridas, fios dourados e laços vermelhos! Guirlandas nas portas. Luzes que piscam!

Velinhos pançudos e vestidos com um modelito meio démodé nos tons vermelho berrante e tomate ambulante começam a pipocar pelas avenidas e shoppings. E claro. Com a bela barba branca que o Dumbledore roubou e um saco cheio, por favor, de presentes! Ah, vai dizer que você já começou a pensar nos pedidos e cartinhas?? Pensa que me engana, acho que não!

Não há como resistir! Não tem volta. As luzes piscam freneticamente na minha cara a cada dia que passa! Lá vem ele, preparem-se!

Ele vai bater à sua porta. Com aquela risada característica! As dietas vão para o saco e as promessas de novas começam a surgir ao redor da mesa! Quando menos você esperar vai estar lá também! Entoando cânticos característicos!

Pois é, o espírito do natal me pegou de jeito! E acredito que nem o Grinch poderá me impedir de cair de cabeça no segundo melhor feriado mundial (perdendo somente para o dia das bruxas, afinal existe coisa melhor do que doces e dar sustos nos outros…?)

E isso ai pessoal! Comecem a desempacotar as bolinhas coloridas. Verifiquem se suas luzinhas estão acendendo direito. Comprem suas árvores (para aqueles que não aderiram à moda meio bizarra de árvores de plástico! Olha quem fala!). Pendurem os enfeites. Perdoem quem te fez mal ao longo do ano. Peçam desculpas se magoaram alguém! Afinal, essa não é uma época de brigas. É época de fortalecer as amizades e começar novas. E não pelos presentes. Afinal só de ter aquelas pessoas especiais ao seu lado já não vale o bastante?

Comece já o seu feliz natal! E não se esqueça do Grinch ok?!

Esse é o espirito!

Esse é o espírito!

novembro 18, 2008 at 6:14 pm Deixe um comentário

Rotinando

De volta para a minha rotina querida. Cursinho, casa, cursinho. Ai como eu estava com saudades disso. Ar livre, pessoas, Paulista. Mas principalmente pessoas. Abraços, pulos, sorriso e os “eu tava com saudades”. É tão bom! I Love you too girls!

Até o chato do professor de matemática me vez vibrar. Voltar as minhas caminhadas matinais. Ao café das nove. As bobagens durante intervalinhos. Aos rabiscos na carteira. E nos cadernos alheios. Voltar a ser eu mesma!

É bom voltar pro mundo real.

novembro 10, 2008 at 9:37 pm Deixe um comentário

Fobia relativa

O que te assusta mais? Uma aranha peluda, um besouro gigantesco ou a balança apontando 10 kg a mais do que estava na semana anterior? Uns podem ter medo de uma prova que se aproxima vestibular, outros de uma bela bronca dos pais quando chegarem em casa.

Eu, por exemplo, morro de medo de insetos. No geral mesmo. Saio gritando por ai, esperneando até que alguma alma caridosa venha e acabe com o nojentinho que me persegue.

*se esconde*

*se esconde*

Mertiolate é outra coisa que me causava pavor durante a infância. Chorava mais por causa do malbendito remédio do que pelo machucado nem si. Mas graças aos deuses esse remédio from hell foi proibido, o que me deixa livre para cair e me machucar em paz!

Agora, uma amiga minha, que vai ter sua identidade preservada por mera questão da minha bondade pessoal, descobriu um medo absurdo pela música do “Quebra-Nozes”. Não riam, fizemos uma teoria muito boa sobre esse “causo”. Afinal, se eu fosse assaltar alguma residência com certeza essa música estaria em plano de fundo!

Já outra tem medo de lagartixa. E eu me viro muito bem com lagartixas, aliás, idem para o “Quebra Nozes”. Não sei dizer se aranhas e músicas legais incomodam outras pessoas. Devem incomodar, pelo menos as aranhas. Afinal, conheço algumas dúzias de pessoas que tem pavor a aracnídeos!

Nem comento

Nem comento

Sabe outra coisa que me dá pavor. Meu professor de Geografia. Sério, o Nogueira é maravilhoso. Mas tenho medo de perguntar as coisas pra ele, vai que ele descobre que eu tenho a inteligência de uma ameba e espalha isso por ai. Onde fica a minha moral???

Perdida por ai, com certeza!

Ps: Durante a produção desse post meu irmão também descobriu uma certa fobia ao “Quebra Nozes”, é esse daí está realmente perdendo sua popularidade!

outubro 28, 2008 at 8:31 pm 1 comentário


Quem?

Paulistana facilmente encontrada perambulando pelos números da Rua Piauí nos horários comerciais. Nascida no ano de 1990, o que me poupa trabalho de atualizar e fornece a você a oportunidade de mexer com números! Começando a exercer a função de bixete e virando foca!

Today is…

julho 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Na cabeceira da cama…

Meg Cabot - Tamanho 44 Também Não É Gorda

Hey Twitter

  • RT @delucca: Temer é delatado em crimes seríssimos. Aécio é delatado em crimes seríssimos. O nome ou a foto de algum deles está na capa da… 2 months ago
  • RT @delucca: A imprensa está voltando a estampar o Lula na capa de seus sites, e vai tirando Temer e Aécio do foco. Os cheques estão começa… 2 months ago
  • Hoje é um daqueles dias em que eu preferia ficar em casa ouvindo os áudios do Temer a ter que colocar meus pezinhos na rua e ir trabalhar 2 months ago
  • RT @joaoluisjr: gosto muito da discrição dos caras da jbs - temer, me fala aqui como você tá - q? - fala da lava-jato - como? - CRIMES, ME… 2 months ago
  • RT @joaoluisjr: muito divertido o jornal nacional tentando transcrever diálogo do aécio "então FALA UM PALAVRÃO ele vai OUTRO PALAVRÃO e a… 2 months ago